Preconceito, racismo ou discriminação?

Wagner Alex
Acima foto de Wagner Alex, ex-primeiro sargento e embaixador do Transformers no Brasil.

O preconceito é uma opinião preconcebida sobre determinado grupo ou pessoa, sem qualquer informação ou razão. O racismo é a crença de que existiriam raças superiores a outras. Já a discriminação é a ação baseada no preconceito ou racismo, em que o indivíduo recebe um tratamento injusto apenas por pertencer a um grupo diferente.

Wagner Alexandre Silva, professor e pesquisador, doutorando e mestre em Comunicação na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Consultor da Paramount Pictures e ex-primeiro Sargento do Exército Brasileiro.
Mesmo com tantas, patentes, títulos e conhecimento não escaparam de ser alvo do preconceito.
Aficionado por desenhos animados, revistas em quadrinhos e videogames desde pequeno, foi com G.I Joe, action figure americana produzida por Hasbro, que teve inspiração para sua carreira militar da qual exerceu por 24 anos.
Em 1995, aos 19 anos, Wagner entrou para o Exército Brasileiro como voluntario, servindo como soldado na extinta Escola de Material Bélico (EsMB), no Rio de Janeiro. Sendo um adolescente muito regrado, não enfrentou problemas para se adaptar, recebendo em apenas seis meses dentro das forças armadas a Medalha de Praça Mais Distinta, condecoração essa, por ter destaque de melhor soldado.
Por este feito, no ano seguinte, também foi indicado para um curso de Formação de Cabos, sendo promovido já em 1996.
Tornando-se conhecido por seu desempenho, o Coronel Comandante da EsMB, em uma ocasião particular, deu a Wagner a oportunidade de fazer Doutorado em Ciência e Tecnologia pela Université de Bordeaux, tornando-se professor no Instituto Militar de Engenharia (IME) em 1997. Época essa que, designado para uma missão, passou enfrente à sede da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) no Rio de Janeiro, e indagou a si mesmo; – ‘’Quem sabe um dia eu não estude aqui?’’.
Mas neste ano, sofreu uma dura realidade; ‘’Fui Agraciado com uma bolsa de estudo de um curso preparatório pela Escola de Comunicações do Exército.
A bolsa de estudos era referente ao curso preparatório para o concurso de admissão do Instituto Militar de Engenharia (IME), mas quando fui apresentado ao Major responsável pelo curso, ao ver que eu era Cabo, apenas disse: – “Ser sargento pra ele já está de bom tamanho!”.
Tendo então sua bolsa revertida para o concurso de admissão da Escola de Sargento das Armas (EsSA).
Em 1998 iniciou o curso de Formação de Sargentos, onde escolheu a área da saúde do Exército, sendo transferido para o Hospital Geral de São Paulo (HGeSP), e por única razão, continuar estudando.
A adaptação à cidade foi difícil. Por ser negro, de início, tive grandes problemas com diversos militares de várias patentes, que insistiam em se referirem a mim de forma racista. Lembro bem que era um tratamento dado a todos os militares negros nesse quartel. No entanto, minha recusa em aceitar tais “brincadeiras”, fez com que eu, literalmente, discutisse com um de meus superiores hierárquicos, ao fim da qual fiz valer o respeito a minha dignidade. _ relembra Wagner.
Em 2007 após finalizar a graduação do concurso de Admissão à carreira Diplomática do Itamaraty, concedida pelo GH- Grupo de Humanidades, e por meio de licença especial, afastou-se temporariamente do Exército, retornando pouco tempo depois, inclusive servindo o mesmo quartel de antes, sendo promovido a Segundo Sargento em 2008, mesmo ano em que se viu em um vislumbre pelo live-action de Transformers, além de se formar em Russo no mesmo ano.
No ano de 2010, Wagner se formou em Comunicação e Marketing, optando pelo’ ’colecionismo’’ como tema de seu TCC, em razão de seu blog, ‘’Transformers Dioramas’’. Já no ano de 2011 foi contratado pela Hasbro, onde apresentou um diorama de 2 metros em uma exposição feita em um shopping, com publico superior a 25 mil pessoas.
E neste mesmo ano, se formou no Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos do Exército, retornando ao mesmo quartel, reencontrando alguns militares da qual tinha servido anteriormente, porem retornando Sargento, e possuindo hierarquia superior a eles, agora, todos sendo obrigados a se dirigirem a Wagner como ‘’senhor’’, palavra usada para satirizá-lo anos atrás.
Mas, como sempre quem acredita alcança, em 2014 o site ‘’Transformers Dioramas’’ foi reconhecido como a maior referência sobre Transformers no Brasil, sendo noticiado pelos principais veículos de notícias do mundo, e claro, a própria Hasbro e Paramount Pictures, onde acabou conhecendo o diretor do filme Michael Bay.
Já nos anos seguintes, Wagner Alexandre continuou sofrendo represálias por parte de seus superiores, como por exemplo o boicote que sofreu após um convite para trabalhar fora do Brasil, sendo um dos únicos fluentes em Russo, Espanhol e Russo, teve seu pedido negado, segundo rumores, por ser negro.
Por um lado, o sucesso como colecionador, prestando consultoria a grandes empresas como Sony Pictures e Universal Studios, E por outro a luta contra o racismo, da qual já chegou até não ser designado, mesmo altamente capacitado. Ao invés disso, o motorista de um General em Brasília, tomou seu lugar!
Triste? Sim. Decepcionado? Não! – Diz ele.
Entre essas e outras, por fim, Wagner Alexandre Silva, foi chamado a sala de seus superiores hierárquicos para escolher entre continuar estudando ‘’que não servia para nada’’ ou abandonar 24 anos de serviço de carreira.
Ele é bem convicto, e diz que parar de estudar nunca foi uma opção!

Deixe o seu comentário
Comente
Nome
O email

Fale conosco